Bicicleta

Ao contrário do que muitos podem pensar (e do que eu também pensava), as especificações da bicicleta não importam tanto assim quando se vai fazer uma viagem. É um tanto engraçado, pois minhas primeiras viagens de bicicleta foram feitas com uma bici bem simples, de andar na cidade, e mesmo não acontecendo nenhum problema grave, logo que me vi obrigada a adquirir outra bicicleta (aquela tinha sido roubada em Curitiba) fui seduzida pela ideia de montar “a” bicicleta para a viagem, o que é não é tão essencial assim. É claro que há coisas que facilitam bastante, mas há também várias outras que não passam de conversa fiada de vendedor de equipamento. As informações que coloco aqui são resultado de pesquisa na internet, conversas com ciclistas e experiência.

 Recomendações gerais:

Quase qualquer bicicleta pode ser usada para viajar. Há, porém, duas ressalvas: uma para bicicletas que são específicas para corrida ou downhill, que aí ficam difíceis de adaptar, além de serem muito mais caras; outra para aquelas de péssima qualidade, que darão muito trabalho de manutenção (geralmente as vendidas em supermercados).

Antes de escolher a bicicleta, será preciso delinear algumas coisas sobre o tipo de viagem: número de dias, pernoite (acampamento ou pousada), clima, tipo de estrada, quilometragem diária, se existem períodos longos sem nenhuma civilização, etc. Abaixo elencarei aspectos um tanto gerais, para servir de base, mas que foram pensados a partir do tipo de viagem que costumamos fazer. É importante tê-los sempre em mente na hora de escolher o equipamento:

  • Você já vai carregar bastante peso (especialmente se for acampar), então quanto mais leve for a bicicleta, melhor. Muita parafernália acaba atrapalhando mais que ajudando.
  • Serão muitas horas pedalando, um pouco de conforto faz bem.
  • É muito difícil pegar só asfalto lisinho a viagem toda. Mesmo nas grandes estradas, tem trechos do acostamento bem esburacados.
  • Quase nunca você terá um lugar especializado onde consertar a bicicleta caso ela estrague; mesmo que equipamentos muito sofisticados possam ter algumas vantagens quanto ao peso ou conforto, é importante que não demandem muita manutenção e que você saiba consertá-los se vierem a estragar.

 Bicicleta

Recomendações específicas:

(1) Bagageiro traseiro conectado ao quadro

Essencial para carregar os alforjes, barraca, garrafas com água, colchonete, isolante térmico, e quem sabe uma bandeirola. (ver comentários)

(2) Pneu

Aconselhamos o tipo híbrido: o centro liso e compacto desempenha bem no asfalto enquanto as bordas cheias de ranhuras ajudam nas estradas de terra. Se seu tipo de viagem for mais específico, aí vale pensar em um pneu que corresponda às necessidades.

(3) Selim

O importante é testar vários. Normalmente os mais largos e com molas são melhores para longas distâncias. Mas não se iluda: depois de 2h pedalando qualquer bunda dói. Se você for menina, preste atenção ao escolher o selim, porque quase todos são feitos para homens e, por isso, podem incomodar e até mesmo machucar algumas regiões femininas, como o clitóris. Atenção especial àqueles ditos “anatômicos”, que costumam ser os mais problemáticos.

(4) Bagageiro dianteiro

Vai conectado ao garfo ou amortecedor: como o peso estará ligado no mesmo eixo do guidão, é melhor carregar pouca coisa na frente. (ver + comentários)

(5) Amortecedor

Não é tão necessário assim. A vantagem de tê-lo é o conforto se você for pegar estrada de terra. Mas se só irá pelo asfalto, vale mais pegar um garfo rígido e economizar peso e dinheiro. O amortecedor traseiro é besteira. (ver comentários)

(6) Pé-de-vela selado

Evita que entre sujeira e aguenta mais tempo sem desalinhar.

(7) Rolamentos selados

Como a carga será grande (em torno de 20kg mais o peso da pessoa), rolamentos de boa qualidade resistirão mais.

(8) Chifres (bar end)

Necessário para variar a pegada no guidão e, dessa forma, sofrer bem menos com dores no pulso.. É bom evitar aqueles que são duas peças encaixadas, porque qualquer batidinha já os deixa molengas.

(9) Espelho

Facilita para quem está na frente manter o grupo. (ver comentários)

(10) Pedal

Aqui é quase uma questão de gosto. Tem gente que prefere pedalar de sapatilha e aí precisa de um pedal compatível. Eu gosto de pedalar de tênis mesmo, com um pedal mais robusto. É melhor que ele seja de metal, porque dura mais. (ver comentários)

(11) Suporte para caramanhola

A quantidade é uma escolha pessoal, mas é bom ter pelo menos um para lembrar que precisamos tomar água.

Quadro

Minha sugestão é alumínio. É um material leve e mais barato do que fibra de carbono. A desvantagem que alguns apontam é que, caso ele venha a rachar, provavelmente sua viagem acabará naquele momento, pois solda de alumínio não é algo trivial. O que digo em contraponto é que a chance do seu quadro quebrar é muito muito pequena (mesmo o pessoal que pula, gira e faz todo tipo de manobra raramente o quebra).

Aro

Camada dupla, por ser mais resistente, e uma largura razoável, lembrando que você vai carregar peso e passar por alguns buracos.

Marcha (geral)

Muito importante, especialmente subindo o morro com 20kg no bagageiro. Minha bici tem 21, acho que é um número bom (talvez não precisasse de tantas, mas quase não existe menos que isso no mercado). Se for pra investir mesmo em algum lugar da bici, invista nos passadores, catracas e coroas. Rapid Fire é desnecessário. (O gil gosta daqueles antigos de alavanca.)

Freios

É quase consenso que os melhores são V-Brake, além de serem muito mais baratos que os freios a disco.

Anúncios

10 Respostas para “Bicicleta

  1. rodrigo alves

    sou de bombinhas santa catarina e gostria de saber quando estarao saindo…se sairem de curitiba passem aqui em casa na praia de bombinhas podem ficar por aqui para conversarmos e fazer um peixe…tava querendo ir..mas quando esquentasse u pouco mais que o bixo pega por la…vivo por aquelas bandas…masmo assim espero vcś aqui em casa…abracos

    • Legal, Rodrigo! Vamos passar por aí sim, massa que você achou interessante e se dispôs :)
      Se quiser, manda seu contato (endereço, telefone) pro meu e-mail (lmouz[arroba]riseup.net). Pretendemos sair daqui na segunda, então chegamos em bombinhas entre domingo e terça da outra semana.
      Abraços! E mantemos contato :)

      • Anônimo

        desculpa a demora na resposta …que legal espero vc´s mesmo..estou indo a tubarao no dia dos pais e retorno domingo mesmo….meu fone é 47 99623773….espero vc´s aqui em minha humilde casinha….qualquer duvida rua cão do mato frente 667 bairro zé amandio , praia de bombas…antes de bombinhas…é só perguntar e todo mund conhece ou na padaria do daniel..padaria da maricota na avenida de bombas..pergunte pelo rodrigo de tubarao que eles ja sabem..espero por vc´s…devagar e sempre…

      • rodrigo alves

        praia de bombas…bairro zé amandio…rua cão do mato frente 667 ultima casa da rua..parecendo casa de gnomo..rsrs…rodrigo tubarao…ou padaria do daniel…PADARIA MARICOTA..avenida de bombas…daniel ou deise…fone.47 99623773…vou a tubarao fim de semana e volto domingo…fiquem la em casa…espero por vc´s…falow…devagar e sempre

  2. Luiz

    Olá casal aventura, sou de Ctba más hoje trabalho em Moçambique, vi na net sobre a viagem de vocês, só posso desejar uma boa viagem e boa aventura, Fiz ciclismo 9 anos bike é minha paixão, vou acompanhar a viagem pela net, sempre desejando que tudo dê certo.
    Um Abraço vão com Deus.

  3. Luiz Jasper

    Olá, confesso que já estou viajando com vocês, ótimas pedaladas! Achei estranho não terem colocado para lamas, eu adaptei em uma bike aqueles de metal e ficou 10, assim evita a água suja vindo da rua. Se tiver interesse te envio as fotos, o par sai por 16 reais mais uns parafusos e um pouco de trabalho. Boa sorte! Luiz Jasper

    • gil

      Sim, Luiz, faltou falar.
      Na minha bici tenho paralamas na frente e atrás, mas na da luísa não, e quando descemos a serra na garoa foi uma lambança! Ela disse depois que chovia de todo lado, até de baixo. Já o Johannes adaptou com duas metades de garrafas PET presas com fita Hellerman (engasga-gato). Aparentemente deu certo, mas tem que melhorar, eu acho.
      Chegando em Floripa, faremos um amplo comentário sobre o que é preciso para melhorar das coisas que improvisamos.
      valeu!

      • Anônimo

        Me envia um email que te mando as fotos do meu para lamas de metal adaptado, ficou bem firme e não vem água de baixo! Boa viagem e curta cada momento, um grande abraço para os novos amigos! Como citou Amyr Klink: “Um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou TV. Precisa viajar por si, com seus olhos e pés, para entender o que é seu. Para um dia plantar as suas próprias árvores e dar-lhes valor. Conhecer o frio para desfrutar o calor. E o oposto. Sentir a distância e o desabrigo para estar bem sob o próprio teto. Um homem precisa viajar para lugares que não conhece para quebrar essa arrogância que nos faz ver o mundo como o imaginamos, e não simplesmente como é ou pode ser. Que nos faz professores e doutores do que não vimos, quando deveríamos ser alunos, e simplesmente ir ver” Que Deus abençõe vocês!

  4. Thiago Pinto

    Parabéns! Pelo blog, pelo modo de ver a vida, pelo amor a bike. Gostei muito do site de vocês e vou segui-los. Obrigado pelas dicas e continuem com as viagens!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s